ColaboradorER.jpg

Eduardo Rezende

A arte sempre esteve no caminho de Eduardo Rezende. Desde a infância, no Rio de Janeiro, ele teve a oportunidade de frequentar esse universo, já que sua mãe, Eleonora Paes de Carvalho, era marchand, e fazia questão de apresentá-lo aos grandes mestres nacionais e internacionais. Engenheiro, o pai, Alexandre de Rezende Costa, também era grande apreciador de obras de arte. O que acabou, de certa forma, influenciando não só o gosto de Eduardo pela arte, mas tornando-o capaz de desenvolver um trabalho artístico através da fotografia. 

Atualmente reconhecido como um dos melhores fotógrafos de moda no Brasil - suas imagens cheias de grafismos e construídas por ângulos que valorizam detalhes e formam uma espécie de arquitetura fashion encantam editores, marcas e top models -, ele também envereda pela arte, desenvolvendo um trabalho extremamente autoral, que lhe rende mostras no país e exterior. A primeira foi em 2006, quando participou da Exposição Conjunta na Galeria Valu Oria, ao lado do artista plástico Wesley Duke Lee. No ano passado, realizou a exposição “O Homem e a Pedra”, na Gabriel Wickbold Studio & Gallery, em São Paulo. Composta por 30 imagens, mostravam sequências com água, que exploravam uma das especialidades do fotógrafo: os grafismos. Elementos bastante presentes e fortes na arte de Rezende, seja em ângulos, no jogo de luz ou sombra ou nas composições fotográficas. Também esteve na Art Basel, em Miami, nos Estados Unidos, com duas exibições: uma coletiva e outra individual, “The Nomad and The Houses”, na Pair Gallery.